Bispos e Arcebispos

O Concílio Ecumênico Vaticano II conceituou a diocese como “a porção do Povo de Deus confiada a um Bispo para que a pastoreie em cooperação com o presbitério, de tal modo que, unida a seu Pastor e por ele congregada no Espírito Santo mediante o Evangelho e a Eucaristia, constitua uma Igreja Particular, na qual verdadeiramente está e opera a Una, Santa, Católica e Apostólica Igreja de Cristo” (Christus Dominus, 11).

Início do Ministério: 2023

Dom José Carlos de Souza Campos nasceu em ltaúna-MG, no dia 03 de janeiro de 1968. É filho de José Pinheiro Campos e Dona Piedade Souza Campos.

Em 1983, entrou para o Seminário Diocesano, em Divinópolis-MG. Morou em Pará de Minas-MG, no seminário, em 1984 e 1985. Mudou-se para Belo Horizonte, onde cursou filosofia e teologia. Sua ordenação sacerdotal aconteceu em ltaúna-MG, no dia 30 de maio de 1993.

Curso de mestrado em teologia na “Pontificia Università Gregoriana”, em Roma, de 2000 a 2002.  Em sua tese, trabalhou o seguinte tema: Na pergunta sobre o homem, a inevitável pergunta sobre Deus. Um percurso de antropologia filosófico-teológica, na obra de Juan Alfaro.

Durante boa parte de sua vida exerceu o magistério. Foi professor em Belo Horizonte-MG e Pará de Minas-MG. Trabalhou no Colégio Berlaar Sagrado Coração de Maria, como professor de Língua Portuguesa. Lecionou filosofia e espanhol no Seminário São José. Foi professor de filosofia da religião, antropologia filosófica e outras disciplinas nas escolas da região.

Em seu trabalho pastoral já atuou em diversas paróquias e comunidades.

No dia 26 de fevereiro de 2014 foi nomeado pelo Papa Francisco como bispo da Diocese de Divinópolis, e no dia 25 de maio do mesmo ano foi ordenado bispo e tomou posse na Diocese.

No dia 14 de dezembro de 2022 foi nomeado arcebispo metropolitano de Montes Claros. Sua posse canônica foi no dia 19 de fevereiro de 2023, na Catedral Metropolitana de Montes Claros.

Atualmente é também o Presidente do Regional Leste 2 da CNBB, que engloba as Arquidioceses e Dioceses de todo o Estado de Minas Gerais.

Nascimento: 03/01/1968 em ltaúna- MG. 

Ordenação Presbiteral: 30/05/1993- ltaúna- MG.

Nomeação Episcopal: 26/02/2014- Divinópolis- MG. 

Ordenação Episcopal: 25 /05/2014- Divinópolis- MG. 

Posse como Bispo diocesano: 25 /05/2014- Divinópolis -MG.

Nomeado como Arcebispo Metropolitano:14/12/2022- Montes Claros- MG. 

Tomou posse como Arcebispo em Montes Claros: 19/02/2023.

Período: 2018 a 2022 

Filho do casal Justino Emílio de Medeiros Silva e Maria de Lourdes Medeiros Silva, Dom João Justino nasceu no dia 22 de dezembro de 1966, em Juiz de Fora – MG.

Ingressou no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio em 1984, onde cursou Filosofia e Teologia. Foi ordenado padre em 13 de dezembro de 1992.

Graduou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora e em Pedagogia pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF).

Dom João Justino foi professor e coordenador do curso de Teologia do CES/JF.

Em 2004, tornou-se reitor do Seminário Arquidiocesano de Juiz de Fora -MG. Na cidade mineira, foi pároco-solidário na Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Benfica e Paróquia do Bom Pastor. Também foi Vigário Paroquial na Paróquia de São Pedro.

O Papa Bento XVI o nomeou bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte no dia 21 de dezembro de 2011. Dom João Justino recebeu a ordenação episcopal no dia 11 de fevereiro de 2012, na Catedral de Santo Antônio, em Juiz de Fora – MG.

É doutor e mestre em Teologia, pela Universidade Gregoriana de Roma.

Foi perito da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé da CNBB.

Na Arquidiocese de Juiz de Fora, foi Vigário Episcopal para a Cultura, Educação e Juventude e secretário do
Colégio de Consultores.

Em 2015, foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e membro do Conselho Episcopal Pastoral (Consep). Também foi eleito presidente da Comissão Episcopal para a Educação do Regional Leste 2 da CNBB (Minas e Espírito Santo).

Em março de 2016, foi nomeado membro da Comissão de Cultura e Educação do Setor Universidades do
Conselho Episcopal Latino-americano (Celam), e responsável pelas pastorais de Educação e Cultura no Cone Sul.

Em 22 de fevereiro de 2017 foi nomeado arcebispo coadjutor da Arquidiocese de Montes Claros e com a renúncia de dom José Alberto, foi nomeado arcebispo metropolitano em 21 de novembro de 2018.

Como Arcebispo Metropolitano:

Seu ministério na Arquidiocese de Montes Claros foi de um breve espaço temporal, mas muito fecundo, atuando em visitas às comunidades paroquiais, movimentos, ações sociais e buscando a transparência na administração da arquidiocese.

Fez reformas administrativas.

Criou 4 novas paróquias. Criou os vicariatos episcopais. Remodelou os setores em foranias. 

Criou o Santuário Arquidiocesano do Senhor do Bonfim, em Bocaiúva.

Transferiu a Comunidade Propedêutico Pio XII para lbiaí – MG e Bocaiuva – MG.

Com o zelo cultural, empenhou-se na aquisição o órgão para a Catedral Metropolitana e criou o Arquivo Arquidiocesano Dom João Antônio Pimenta.

Em meio à pandemia da COVID-19, realizou a IV Assembleia Arquidiocesana de Pastoral.

Nascimento: 22/12/1966 – Juiz de Fora -MG

Ordenação Presbiteral: 13/12/1992 – Juiz de Fora -MG

Nomeado como Bispo Auxiliar: 21/12/2011 – Belo Horizonte- MG. 

Ordenado Bispo: 11/02/2012 – Juiz de Fora -MG

Nomeado como Arcebispo Coadjutor: 22/02/2017 – Montes Claros- MG. 

Nomeado como Arcebispo Metropolitano: 21/11/2018- Montes Claros- MG. 

Nomeado Arcebispo Metropolitano: 09/12/2021- Goiânia -GO.

Administrador Apostólico da Arquidiocese de Montes Claros até: 12/02/2022.

Período: 2007 a 2018

Nomeado pelo Papa Bento XVI como 2º Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, no dia 07 de fevereiro de 2007. Dom José Alberto Moura sucedeu a Dom Geraldo Majela de Castro, tomando posse no governo da Arquidiocese no dia 14 de abril de 2007.

Como Arcebispo Metropolitano:

Durante seu Ministério Episcopal conheceu a Arquidiocese por meio de visitas pastorais.

Foi um grande incentivador das pastorais sociais e promoveu nos leigos o espírito de “uma Igreja Discípula Missionária de Jesus Cristo, a serviço da vida e da dignidade para todos”, que se propõe ser uma Igreja em estado permanente de missão.

Criou a AAPAC (ASSOCIAÇÃO DE APOIO, PROTEÇÃO E AMPARO À CRIANÇA DA ARQUIDIOCESE DE MONTES CLAROS).

Reestruturou o informativo diocesano Far Elo de Vida e deu o nome de “CLARÃO DO NORTE”, que mais tarde se tornou a revista Clarão do Norte. Semanalmente, marcou presença com seus artigos publicados em um Jornal da cidade, no site da CNBB Nacional e do Regional Leste 2, além do programa radiofônico diário na extinta Associação Bom Pastor.

Sua administração foi marcada por uma presença efetiva na diretoria da Santa Casa de Montes Claros.

Em nível nacional, exerceu a função de assessor na Pasta ecumênica da CNBB.

Depois de 11 anos de pastoreio, Dom José Alberto Moura renunciou ao governo da diocese por motivo de idade.

Nascimento: 23/10/1943 – ltuiutaba-MG 

Ordenação Presbiteral: 09/01/1971 – ltuiutaba-MG

Nomeação como Bispo Coadjutor: 18/04/1990 – Uberlândia-MG 

Ordenação Episcopal: 14/07/1990 – Uberlândia-MG

Posse como Bispo Diocesano: 23/12/1992 – Uberlândia-MG

Nomeação Arcebispo Metropolitano:07/02/2007 – Montes Claros-MG 

Posse como Arcebispo Metropolitano: 14/04/2007 – Montes Claros-MG

Tornou-se arcebispo emérito de Montes Claros em 21/11/2018

Período: 1988 a 2007

Nomeado bispo coadjutor de Dom José Alves Trindade, com direito a sucessão, em 15 de junho de 1982, assume o governo da Diocese como seu 6º Bispo, com a renúncia de Dom José Alves Trindade, em 1º de junho de 1988.

Em 25 de abril de 2001 foi nomeado o 1º Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, com a Criação da Província Eclesiástica de Montes Claros.

Faleceu na Santa Casa, no dia 14 de maio de 2015. Está sepultado na Cripta da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida de Montes Claros.

Como 6º Bispo Diocesano e 1º Arcebispo:

Desde a sua posse como 6º Bispo Diocesano no exercício de sua missão profética, fez com que a Igreja Particular de Montes Claros se lançasse com mais ardor e vibração à tarefa evangelizadora, buscando ser uma Igreja que evangeliza e é evangelizada.

Convoca a 3ª Assembleia Diocesana de Pastoral, tornando-se um divisor de águas na pastoral diocesana. Houve envolvimento de todas as paróquias da Diocese. Houve uma longa preparação de 3 anos.

Convocou mais 2 Assembleias Diocesanas e a 1 ª Assembleia Arquidiocesana.

Com Dom Geraldo cresceu na Arquidiocese a consciência e a vivência da Igreja Povo de Deus, Igreja comunidade, Igreja Sacramento de Salvação, Igreja profética.

Foram criadas estruturas de Coordenação, comunhão e participação: CODIPA, COARPA, EMA, CONDIPA, CONARPA, EMI, CONDIPA, COARPA, RAP, ROP, COARLE. Secretariado (Arqui) Diocesano de Pastoral, Colégio de Consultores e o Conselho de Economia.  Valorizou o Conselho de Presbíteros.

Apoiou a Pastoral Familiar, que se tornou referência nacional. Apoiou a Pastoral da Criança, que se tornou referência internacional.

Desenvolveu projetos sociais como: Prodecoim, Fundajú, Proderur.

Criou 33 entre paróquias e quase paróquias, sem contar as paróquias que estão na Diocese de Janaúba.

Criou e instalou o Seminário Maior Imaculado Coração de Maria, em 1992.

Nascimento: 24/06/1930 – Montes Claros-MG

Ordenação Presbiteral: 08/12/1953 – Montes Claros-MG 

Nomeação como Bispo Coadjutor: 15/06/1982 – Montes Claros-MG

Ordenação Episcopal: 08/09/1982 – Montes Claros-MG 

Posse como Bispo Diocesano: 01/06/1988- Montes Claros- MG

Nomeação como Arcebispo Metropolitano: 25/04/2001 – Montes Claros-MG 

Renúncia: Arcebispo Emérito: 07/02/2007 – Montes Claros-MG

Falecimento: 14/05/2015 – Montes Claros-MG

Período: 1956 a 1988

Mineiro de Lagoa Dourada, Dom José Alves Trindade é nomeado pelo Papa Pio XII como o 5º Bispo de Montes Claros. Transferido da Diocese de Bonfim, na Bahia, onde era Bispo Diocesano, no dia 09 de junho de 1956, tomou posse da Diocese de Montes Claros no dia 07 de outubro de 1956.

Em 1988 aposentou-se por idade. Faleceu no dia 08 de março de 2005 e está sepultado na Cripta da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida de Montes Claros.

Como Bispo Diocesano:

Dom José logo cativou o coração de todos pela sua cordialidade, simplicidade e alegria contagiante. Recebia a todos com muita atenção, sobretudo os mais pobres.

Reiniciou a construção do Seminário Menor, sendo inaugurado em 1965, onde hoje funciona a UNIMONTES. 

Empenhou-se para que o Norte de Minas fizesse parte da SUDENE. Atuou junto ao então Presidente Juscelino Kubitschek a fim de solucionar os graves problemas de abastecimento de água que assolavam a região, atuando, ainda, junto ao DNOCS.

Teve participação ativa na criação do Grupo de Trabalho encarregado de coordenar atividades dos órgãos federais em favor do desenvolvimento da região.

Coordenou o Plano de Socorro às vítimas das enchentes de 1968, conseguindo, entre outras, ajuda financeira do Papa Paulo VI. 

Sua maior atividade foi o apostolado direto com o povo do interior, que visitava constantemente, como um Bispo Missionário. 

Participou como Padre conciliar de todas as sessões do Concílio Ecumênico Vaticano II. A sua grande obra foi a renovação da Diocese inspirada no Concílio Vaticano II e no PPC (Plano de Pastoral da CNBB, sendo Montes Claros a 1ª Diocese a fazer o planejamento, constante nas “Diretrizes Pastorais de Montes Claros (1967-1970).

Com Dom José iniciou-se um trabalho de reflexão e planejamento jamais visto no Norte de Minas.
Pela primeira vez foi dada ao povo a oportunidade de se pronunciar a respeito da caminhada da Igreja.

Dom José reformou e reestruturou o Orfanato, entregando-o às Irmãs da Sagrada Família de Bérgamo. 

Nascimento: 07/10/1912 – Lagoa Dourada-MG 

Ordenação Presbiteral: 27/03/1937 – Roma -Itália

Nomeação como Bispo Diocesano: 04/10/1948 – Bonfim-BA

Ordenação Episcopal: 21/11/1948 – Mariana-MG 

Posse como Bispo Diocesano: 30/01/1949 – Bonfim-BA 

Transferência: 09/06/1956 – Montes Claros-MG

Posse como Bispo Diocesano: 07/10/1956 – Montes Claros-MG 

Renúncia: 01/06/1988 – Montes Claros-MG 

Falecimento: 08/03/2005 – Montes Claros-MG

Período: 1952 a 1956

Nomeado pelo Papa Pio XII em 04 de março de 1952, Dom Luís era gaúcho, do clero de Porto Alegre e tomou posse da Diocese de Montes Claros no dia 29 de junho de 1952.

Uma graça sacramental que gostava de lembrar é que recebeu o Sacramento da Crisma pelo primeiro bispo desta diocese, Dom Joao Antônio Pimenta, quando esse era auxiliar de Porto Alegre.

Como Bispo Diocesano:

Trabalhou com ardor missionário para que a Igreja Particular de Montes Claros tivesse um rosto e uma identidade local, respondendo, dessa maneira os desafios da evangelização no sertão mineiro. Uma Igreja próxima e com identidade.

Deu continuidade ao trabalho das Obras Vocacionais. Restabeleceu na cidade o Seminário Menor Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças, no prédio do Colégio Diocesano com 30 seminaristas.

Abriu a missão com os padres da Companhia de Jesus na Diocese.

Em sua ação pastoral destaca-se o apoio à Ação Católica, através da JIC-JEC (Juventude Independente Católica-Juventude Estudantil Católica).

Adquiriu o terreno e deixou prontos os alicerces do seminário, onde hoje funciona a UNIMONTES.

É do seu empenho junto aos poderes públicos, a iluminação da cidade de Montes Claros pela CEMIG.

Com o seu governo pastoral iniciou o processo de criação da Diocese de Januária -MG.

Nascimento: 30/08/1904- Caxias do Sul-RS 

Ordenação Presbiteral: 09/01/1927 – Porto Alegre-RS

Nomeação como Bispo Diocesano: 04/03/1952 – Montes Claros – MG 

Ordenação Episcopal: 01/06/1952 – Porto Alegre-RS

Posse como Bispo Diocesano: 29/06/1952 – Montes Claros 

Transferência: 10/01/1956 – Santa Maria – RS 

Falecimento: 10/04/1970 – Santa Maria – RS

Período: 1948 a 1951

Nomeado em 29 de setembro de 1948 como 3º Bispo de Montes Claros, Dom Antônio, pertencente ao clero da Diocese de Taubaté-SP, tomou posse da Diocese de Montes Claros em 31 de janeiro de 1949.

Como Bispo Diocesano:

Finalizou as obras da construção da nova Catedral, elevando-a a Paróquia em 1º de janeiro de 1950.

Reestruturou o Colégio Diocesano, com a edificação de novas dependências, modernas para o seu tempo.
Ampliou o edifício da Santa Casa.

Recebeu o terreno onde hoje funciona o Orfanato Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.  Onde a Diocese edificou a construção da Casa das Pobres.

Dedicou-se às Obras Vocacionais em toda Diocese.

Incentivou a organização do Círculo Operário.

Era dotado de oratória que encantava e despertava o interesse não só dos intelectuais da época, mas de todas as pessoas inclusive, os “liberais”. Defensor dos direitos humanos e da doutrina social da Igreja.

Nascimento: 26/06/1904 – Paraisópolis-MG 

Ordenação Presbiteral: 02/10/1927 – Taubaté-SP

Nomeação como Bispo Diocesano: 29/09/1948 – Montes Claros-MG 

Ordenação Episcopal: 12/12/1948 – Taubaté-SP

Posse como Bispo Diocesano: 31/01/1949 – Montes Claros-MG 

Transferência: 17/11/1951 – Olinda e Recife-PE

Arcebispo da Arquidiocese de Niterói – RJ: Período 1960 – 1979

Falecimento: 12/11/1984 – Guaratinguetá – SP

Período: 1943 a 1947

Nomeado Bispo Coadjuntor da Diocese de Montes Claros pelo Papa Pio XI em 08 de maio de 1931. Assumiu o governo pastoral da Diocese como 2º Bispo com a morte de Dom João Antônio Pimenta, em 20 de julho de 1943.

Faleceu aos 64 anos, no dia 07 de abril de 1947. Está sepultado na Cripta da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida de Montes Claros.

Como Bispo Diocesano:

Continuou o projeto das Obras Vocacionais. Buscou despertar a consciência na formação sacerdotal, incentivando que o clero fosse originário da própria região, atendendo melhor o Norte de Minas com os seus desafios. Com seu empenho o número de seminaristas em seu tempo passou a 15.

Deu sequência às obras da construção da nova Catedral. Iniciou a construção do novo prédio da Santa Casa, criando a Irmandade Nossa Senhora das Mercês.

Visitou pastoralmente todos os recantos da Diocese, muitas vezes a cavalo, na carroceria de caminhão e até a pé. Foi um apóstolo do confessionário.

Criou o Colégio Marista São José, juntamente com a “Associação dos Amigos da Cidade”. 

Nascimento: 05/10/1882- São João Nepomuceno-MG 

Ordenação Presbiteral: 16/07/1906- Mariana-MG

Nomeação como Bispo Coadjutor: 08/05/1931- Montes Claros-MG 

Ordenação Episcopal: 30/08/1931 – Leopoldina-MG

Posse como Bispo Diocesano: 20/07/1943 – Montes Claros-MG 

Falecimento: 07/04/1947 – Montes Claros-MG

Período: 1911 a 1943

Dom João Antônio Pimenta, nasceu em Capelinha, Diocese de Diamantina, em 12 de dezembro de 1859.
Foi nomeado Bispo Coadjutor do Arcebispado de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, com direito a sucessão, no dia 21 de fevereiro de 1905.

Transferido para Montes Claros, pelo papa São Pio X, criador da Diocese de Montes Claros, tomou posse como 1º Bispo desta diocese no dia 08 de outubro de 1911.

Dom João faleceu aos 84 anos de idade, no dia 20 de julho de 1943, e está sepultado na Cripta da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida de Montes Claros

Como Bispo Diocesano:

Organizou a Cúria Diocesana. Reorganizou as paróquias, criando 4 novas paróquias.

Criou e instalou o Seminário Diocesano. Criou o movimento das Obras Vocacionais.

Reivindicou e administrou o patrimônio da Igreja. Construiu o Palácio Santa Cruz e um Seminário.

Realizou 7 visitas pastorais, percorrendo a cavalo a Diocese em todas as direções, um território de grande extensão que são as Dioceses de Januária, Janaúba e parte de Paracatu.

Escreveu 5 Cartas Pastorais.

Empenhou-se na reforma do clero. Instituiu os Retiros Espirituais anuais para o clero, aumentando o número desse para 25 sacerdotes.

Promoveu várias Missões Populares pregadas pelos Redentoristas e Lazaristas.

Iniciou a construção da nova Catedral. No dia 02 de setembro de 1926, abençoou a pedra fundamental, cuja planta foi desenhada pelo Cônego Belga, Jerônimo Labim, Premonstratense. 

De personalidade forte, porém com virtudes de santidade, dedicava-se constantemente à adoração ao Santíssimo Sacramento. Antes mesmo de sua posse, na primeira carta pastoral, consagrou toda a Diocese de Montes Claros ao Sagrado Coração de Jesus.

Nascimento: 12/12/1859 – Capelinha-MG

Ordenação Presbiteral: 10/06/1883 – Diamantina-MG 

Nomeação como Bispo Coadjutor: 21/02/1906 – Porto Alegre-RS 

Ordenação como Episcopal: 20/05/1906 – Carbonita-MG 

Nomeação como Bispo Diocesano: 07/03/1911- Montes Claros-MG

Posse como Bispo Diocesano: 08/10/1911-Montes Claros-MG 

Falecimento: 20/07/1943 – Montes Claros-MG

2021

Filho de Dorival Souza Barreto e Maria da Conceição Chaves, Dom Dorival, nasceu aos 10 de março de 1964, em Jequié – BA. Viveu a sua primeira infância na cidade de Aiquara (BA), transferindo-se em seguida com a sua família para Jequié, onde iniciou os seus estudos ginasiais. 

No ano de 1980, ingressou no Seminário dos Capuchinhos, em Vitória da Conquista – BA, concluindo o segundo grau no Colégio Paulo VI. Com os Frades Menores Capuchinhos residiu em Salvador (BA), concluindo o biênio filosófico na Universidade Católica do Salvador – UCSal. Fez o noviciado em Esplanada (BA), emitindo a Profissão Simples. Iniciou o curso de Teologia na UCSal, dando continuidade ao mesmo no Instituo Superior de Teologia da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, pela diocese de Jequié. 

Transferindo-se para Montes Claros (MG), concluiu o curso de teologia, sendo ordenado Diácono no dia 19 de julho de 1987, por Dom Geraldo Majela de Castro, O.Praem. Foi ordenado Presbítero no dia 10 de janeiro de 1988, na Catedral Nossa Senhora Aparecida, pelo Bispo Diocesano, Dom José Alves Trindade.

Bacharel em Teologia, Licenciado em Filosofia, Mestre em Liturgia pelo Pontifício Instituto Litúrgico – Roma – Itália, Doutor em Teologia Dogmática pela Pontifícia Universidade Gregoriana – Roma – Itália.

Nomeado pelo Papa Francisco Bispo Titular de “Tindari” e Auxiliar da Arquidiocese de São Salvador da Bahia, no dia 4 de novembro de 2020, Dom Dorival escolheu como lema episcopal: “lte et vos” (Ide também vós – Mt 20,7).

A Ordenação Episcopal aconteceu em 3 de janeiro de 2021, na Matriz da Paróquia Nossa Senhora da Conceição e São José, em Montes Claros (MG). A Missa de Apresentação na Arquidiocese de Salvador foi realizada no dia 6 de fevereiro do mesmo ano.

 

Durante o período na Arquidiocese de Montes Claros:

Além de Vigário, Administrador Paroquial e Pároco em algumas paróquias da Arquidiocese, foi Chanceler, Ecônomo, Membro dos Conselhos Presbiteral, Econômico e Pastoral, do Colégio dos Consultores e Pároco da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida – Montes Claros – MG.

Exerceu as funções de professor de Liturgia Fundamental- Seminário Arquidiocesano Sagrado Coração de Jesus – Diamantina (MG), Professor de Liturgia Fundamental, Arte Sacra, Liturgia Sacramental, Práticas Litúrgicas e Latim – Seminário Maior Imaculado Coração de Maria – Montes Claros (MG), Professor de Língua e Culturas Latinas – Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes – Montes Claros (MG), Coordenador da Comissão Arquidiocesana de Arte Sacra e Bens Culturais, Vice-chanceler, Vigário Forâneo da Forania Nossa Senhora da Conceição e São José. De 2013 até a presente data é Pároco na Paróquia Nossa Senhora da Conceição e São José – Montes Claros (MG).

 

Nascimento: 10/03/1964 – Jequié -BA.

Ordenação Presbiteral: 10/01/1988- Montes Claros- MG. 

Nomeação Episcopal: 04/11/2020- São Salvador- BA. 

Ordenação Episcopal: 03/01/2021 – Montes Claros- MG. 

Apresentação como Bispo auxiliar: 06/02/2021

Compartilhe