Sé Apostólica

A Sé Apostólica é o trono sagrado do Bispo de Roma, o Papa, que sucede diretamente São Pedro, o primeiro Papa e apóstolo de Jesus Cristo. Esse elo direto com os fundamentos da Igreja é uma expressão viva da continuidade da nossa fé ao longo dos séculos.

“O Romano Pontífice, como sucessor de Pedro, é o perpétuo e visível princípio e fundamento da unidade quer dos Bispos quer da multidão dos fiéis”. LUMEN GENTIUM, 23

Papa Francisco, nascido Jorge Mario Bergoglio em 17 de dezembro de 1936, na capital argentina, é o primeiro Papa americano. O jesuíta argentino é filho de imigrantes piemonteses: seu pai trabalhava como contabilista no caminho de ferro, e sua mãe cuidava da casa e da educação dos cinco filhos.

Ele se formou como técnico químico e, posteriormente, escolheu o caminho do sacerdócio, ingressando no seminário diocesano de Villa Devoto. A 11 de março de 1958 entrou no noviciado da Companhia de Jesus. Ordenado sacerdote em 13 de dezembro de 1969, Bergoglio passou por vários cargos na Argentina, incluindo mestre de noviços, professor e reitor de colégios jesuítas.

Em 20 de maio de 1992, João Paulo II o nomeou bispo titular de Auca e auxiliar de Buenos Aires. Bergoglio foi promovido a arcebispo coadjutor em 3 de junho de 1997 e, após a morte do cardeal Quarracino em 28 de fevereiro de 1998, tornou-se arcebispo de Buenos Aires, primaz da Argentina. Em 21 de Fevereiro de 2001, foi elevado a cardeal por João Paulo II.  

Como arcebispo, dedicou-se a projetos missionários centrados na comunhão e na evangelização, enfatizando a participação ativa dos leigos. Em 2002 recusou a nomeação a presidente da Conferência episcopal argentina, mas três anos mais tarde foi eleito para tal cargo e depois confirmado por mais um triénio em 2008. 

Em abril de 2005, participou no conclave durante o qual tinha sido eleito Bento XVI. Em chave continental, alimenta fortes esperanças, no sulco da mensagem da Conferência de Aparecida, de 2007, chegando a defini-la «a Evangelii nuntiandi da América Latina».

Foi eleito Papa em 13 de março de 2013, durante o conclave, assumindo o nome de Francisco. Iniciou solenemente o seu ministério como Pastor Universal da Igreja em 19 de março de 2013. Seu pontificado tem sido marcado por uma abordagem pastoral mais humilde e inclusiva, com foco especial nas questões sociais e na defesa dos pobres. 

O Representante Pontifício não é um observador passivo e nem mesmo somente um embaixador empenhado a executar um plano imposto do exterior. É, ao contrário, o protagonista ativo, o artífice operoso de uma representação que diremos total, enquanto a sua missão deve adequar-se e até mesmo identificar-se com aquela do Papa […]. Essa assume os grandes temas conciliares, movendo da renovada visão da eclesiologia, no justo ordenar-se do ofício dos pastores das igrejas particulares com aquele do pastor da Igreja universal” (Dom Alfio Rapisarda, Nuncio Apostólico no Brasil, 1992- 2002).

Dom Giambattista Diquattro, Núncio Apostólico no Brasil

Dom Giambattista Diquattro, nascido em 18 de março de 1954 em Bolonha, é o atual Núncio Apostólico e Embaixador da Santa Sé no Brasil. Ordenado sacerdote em 1981, destacou-se como Núncio Apostólico no Panamá e na Bolívia antes de sua nomeação para a Índia e Nepal em 2017. Em 29 de agosto de 2020, o Papa Francisco o transferiu para o Brasil, sucedendo Dom Giovanni d’Aniello. Desde então, Dom Diquattro tem desempenhado um papel crucial na representação diplomática da Santa Sé no país, promovendo valores católicos e mantendo relações com o governo brasileiro.

O Núncio Apostólico e Embaixador da Santa Sé no Brasil, Dom Giambattista Diquattro, esteve uma única vez em Montes Claros, em 23 de setembro de 2023 para a imposição do Pálio (Pallium em Latim) de Dom José Carlos de Souza Campos, Quarto Arcebispo Metropolitano de Montes Claros. Este momento solene ocorreu em Celebração Eucarística na Catedral Metropolitana de Montes Claros. 

Compartilhe